terça-feira, 2 de outubro de 2018

ATA Nº 28 – COMCCRI

Aos vinte e sete dias do mês de agosto de 2018, às nove horas da manhã, reuniram-se nas dependências na Sala de Coordenação dos Conselho Paço Municipal, os seguintes representantes do Conselho Municipal de Políticas Culturais (COMCCRI): Representando a Sociedade Civil: Manoela Flor (Teatro); André Tavares (Dança); Cristine Nasário Gomes (Livro e Literatura); Alexandre Claudino Kopietz Pereira (Música); Nathália Pereira Cabral (Patrimônio); Daniele Cristina Zacarão Pereira (Artes Visuais); Rafaela Ribeiro Pereira (Artes Visuais); . Representando o Setor Governamental: Ismail Ahmad Ismail (Fundação Cultural de Criciúma); Cassia Beatriz Villain (IPHAM); Jansen C. dos Santos (Procuradoria); Debora Regina Candido (Galeria de Arte Contemporânea); Cida Panato (Teatro Elias Angeloni); Jamile Souza da Silva (Fundação Cultural de Criciúma).

Justificaram a ausência os(as) conselheiros(as): Manoela Flor por estar doente; Willian Otavio Batista Comin por estar em viagem; Tiago Coelho por demandas da Universidade; Sandra Helena por demandas em uma feira.

Ao inicio da reunião, foi falado sobre o valor de setenta mil para o Edital Cultura Criciúma,sendo que cinco mil é para prestação de contas, tendo em vista que é menos da metade do valor do útlimo Edital em 2014. Daniele Zacarão segue explicando o regulamento do mesmo, falando que "todos os artistas que se inscreverem devem estar vinculados ao Sistema de Informação de Indicadores Culturais do google docs. Também estou fazendo contato para o mapeamento cultural de Criciúma. O ponto seguinte é que funcionários públicos e participantes do Conselho Municipal de Políticas Culturais não poderão se inscrever no Edital."

Em seguida é falado sobre as dificuldades que o artista tem em relação a prestação de contas, e uma ideia que surge é de fazer uma oficina sobre o assunto com o pessoal do financeiro da prefeitura.

Ao final da reunião Ismail lê o oficio encaminhado ao prefeito Clesio Salvaro sobre o valor do Edital e as exigências do conselho que foram discutidas em forma deliberativa no dia 25 de junho de 2018.

Nada mais havendo a tratar, foi lavrada a presente ata, que vai assinada por mim, Manoela de Assis Flor, secretária do COMCCRI, pelo presidente do COMCCRI, Ismail Ahmad Ismail e pelos Conselheiros presentes.



segunda-feira, 1 de outubro de 2018

ATA Nº 27 – COMCCRI

Aos vinte e cinco dias do mês de junho de 2018, às nove horas da manhã, reuniram-se nas dependências na Sala de Coordenação dos Conselho Paço Municipal, os seguintes representantes do Conselho Municipal de Políticas Culturais (COMCCRI): Representando a Sociedade Civil: Frankilin dos Passos (Cultura Popular); Daniele Cristina Zacarão Pereira (Artes Visuais); Samarone Pereira dos Santos (Música); Hellen Barros Manenti (Dança); Tiago de Souza (Audiovisual); Rafaela Ribeiro Pereira (Artes Visuais); Manoela de Assis Flor (Teatro); Silemar Maria de Medeiros da Silva (Cultura Popular). Representando o Setor Governamental: Ismail Ahmad Ismail (Fundação Cultural de Criciúma); Cassia Beatriz Villain (IPHAM); Jansen C. dos Santos (Procuradoria); Zulma Guidi (Secretaria de Educação); Marcia Saldanha Corrêa (Casa de Cultura); Debora Regina Candido (Galeria de Arte Contemporânea); Cida Panato (Teatro Elias Angeloni); Adriana Aparecida Tavares Ferro (Casa da Cultura); Fabrizio A. Rosrigues (Secretaria de Educação); Realdo Medeiros (Museu Municipal Augusto Casagrande); Jamile Souza da Silva (Fundação Cultural de Criciúma).

Justificaram a ausência as conselheiras Sandra Helena Burigo por demandas na organização de uma feira; Willian Otavio Batista Comim por estar em viagem; Tiago Coelho por estar em trabalho.

Ao inicio da reunião, foi falado sobre a atualização do Regimento Interno que precisa ser feito de acordo com a lei 6.818, deliberando um grupo de trabalho composto por: Manoela Flor, Ismail, Juliano e Fabrizio, para ser discutido internamente e trazer resultados na próxima reunião.

Em seguida Daniele fala sobre o Sistema de Informação do google docs que ela encaminhou por e-mail para todos os membros do Conselho, perguntando se é preciso acrescentar algo, então Ismail fala que "não estamos debatendo sobre as demandas como por exemplo das artes visuais, do teatro... estamos debatendo no geral, seria importante especificar no formulário de que área a pessoa é, e quais demandas querem que seja debatido no Conselho de Cultura".

Ismail discute a próxima pauta que é a proposta do governo para lançar o Edital Cultura Criciúma, o governo quer lançar o valor de setenta mil reais para o fundo este ano. Explica que teve várias contra-propostas e que já está sendo negociado desde o começo do ano. Ele fala que tiveram a ideia de lançar cinquenta mil para o Edital e o restante para custos como: oficinas, fórum, divulgação dos editais e etc... Em seguida Daniele fala que foi um passo para trás, pois nos anos passados já trabalharam com Edital de cento e cinquenta e cinco mil, explicando que devemos concordar com este valor, porém deixar claro que não é o suficiente para trabalhar com uma cidade de duzentos mil habitantes. Então, Ismail ficou de mandar um ofício em relação as exigências do Conslho com relação ao valor que irá ser depositado para o fundo.

Ao final da reunião, é elaborado o grupo de trabalho para reformular o Edital Cultura Criciúma, que é composto por: Daniele, Rafaela, Hellen, Cássia e Samarone, que vai ser discutido internamente e trazer resultados na próxima reunião.

Nada mais havendo a tratar, foi lavrada a presente ata, que vai assinada por mim, Manoela de Assis Flor, secretária do COMCCRI, pelo presidente do COMCCRI, Ismail Ahmad Ismail e pelos Conselheiros presentes.



sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Clipagem [Reunião Descentralizada do CEC em Criciúma]

Unesc é sede de reunião descentralizada do Conselho Estadual de Cultura


18 Set, 2018 17:53:22 - Esporte
Criciúma (SC) 
Encontro ocorreu nesta terça-feira com a presença de lideranças da área 
Preservação do patrimônio, implantação do Sistema Estadual de Cultura e mecanismos de financiamento da cultura estiveram entre os assuntos debatidos na tarde desta terça-feira (18/9) na Unesc, durante a reunião descentralizada do Conselho Estadual de Cultura de Santa Catarina. O encontro reuniu estudantes, professores, artistas e gestores culturais que tiraram dúvidas e expuseram seus problemas e necessidades aos representantes do Conselho Estadual de Cultura, realizador da reunião.
O presidente do Conselho Estadual de Cultura, Marcondes Marchetti, afirma que a cultura é componente fundamental da vida e da cidadania. Segundo ele, Criciúma já foi polo cultural na região e em Santa Catarina e tem que retomar essa condição. “Algumas iniciativas podem ser rapidamente deflagradas, como a liberação dos recursos orçamentários que estão previstos para o Fundo Municipal de Cultura, que se propõe a realizar o edital municipal de cultura. Por meio desse edital será possível detectar ações dentro da economia criativa e do empreendedorismo cultural que vem dando um belo exemplo”, afirma. Marchetti citou ainda a criação da lei do mecenato como uma alternativa para o financiamento de projetos culturais.

Marchetti ainda falou sobre as características do Sul do Estado quando o assunto é cultura. De acordo com o presidente do Conselho, o Sul se destaca pela dinâmica e diversidade de trabalhos. Ele elogiou ainda a iniciativa do pagamento de cachê cultural em eventos como o Unesc em Dança. “Acabei de saber que no Unesc em Dança, todos os artistas recebem cachê. Isso é importante e contém a organização econômica do processo. Ações assim permitem que o artista trabalhe, receba e possa construir sua carreira”.  
A reunião descentralizada foi incluído na programação da 25ª Semana Acadêmica de Ciências Contábeis da Unesc e trouxe ainda apresentações artísticas e culturais; painéis sobre “Mecenato Municipal e Estadual: Mecanismos de Financiamento da Cultura”, com o membro do Conselho Estadual de Cultura Marcelo Seixas e sobre “Preservação do Patrimônio e da Passagem Cultural”, com a conselheira estadual de Cultura Betina Adams; entrega da Carta Aberta do Fórum Dança Sul de Santa Catarina; apresentação do Mapacultural.SC; debate sobre a implantação do Sistema Estadual de Cultura. O evento encerra com um ensaio aberto do Coral Unesc.
O encontro contou contou com a participação do presidente da Fundação Cultural de Criciúma, Serginho Zappelini; do presidente do Conselho Municipal de Políticas Culturais de Criciúma, Ismail Ahmad; do presidente da Amrec, Hélio Cesa; da assessora da Diretoria de Extensão, Cultura e Ações Comunitárias da Unesc, Sheila Martignago Saleh; da coordenadora do curso de Ciências Contábeis da Universidade, Milla Lúcia Guimarães, da coordenadora do Setor de Arte e Cultura da Unesc, Amalhene Baesso Reddig e do produtor cultural do Setor de Arte e Cultura da Universidade e representante do conselho, Maxwell Sandeer Flor.  

TEXTO/ASSESSORIA DE IMPRENSA 
FOTO/DIVULGAÇÃO 

Fonte:
http://jinews.com.br/noticia/unesc-e-sede-de-reuniao-descentralizada-do-conselho-estadual-de-cultura

Unesc é sede de reunião descentralizada do Conselho Estadual de Cultura

Preservação do patrimônio, implantação do Sistema Estadual de Cultura e mecanismos de financiamento da cultura, estiveram entre os assuntos debatidos na tarde desta terça-feira (18/9) na Unesc, durante a reunião descentralizada do Conselho Estadual de Cultura de Santa Catarina. O encontro reuniu estudantes, professores, artistas e gestores culturais que tiraram dúvidas e expuseram seus problemas e necessidades aos representantes do Conselho Estadual de Cultura, realizadores da reunião.

(Foto: Milena Nandi)

O presidente do Conselho Estadual de Cultura, Marcondes Marchetti, afirma que a cultura é componente fundamental da vida e da cidadania. Segundo ele, Criciúma já foi polo cultural na região e em Santa Catarina e tem que retomar essa condição. “Algumas iniciativas podem ser rapidamente deflagradas, como a liberação dos recursos orçamentários que estão previstos para o Fundo Municipal de Cultura, que se propõe a realizar o edital municipal de cultura. Por meio desse edital será possível detectar ações dentro da economia criativa e do empreendedorismo cultural que vem dando um belo exemplo”, afirma. Marchetti citou ainda, a criação da lei do mecenato como uma alternativa para o financiamento de projetos culturais.

Marchetti ainda falou sobre as características do Sul do Estado quando o assunto é cultura. De acordo com o presidente do Conselho, o Sul se destaca pela dinâmica e diversidade de trabalhos. Ele elogiou a iniciativa do pagamento de cachê cultural em eventos como o Unesc em Dança. “Acabei de saber que no Unesc em Dança, todos os artistas recebem cachê. Isso é importante e contém a organização econômica do processo. Ações assim permitem que o artista trabalhe, receba e possa construir sua carreira”. 

A reunião descentralizada foi incluída na programação da 25ª Semana Acadêmica de Ciências Contábeis da Unesc e trouxe ainda, apresentações artísticas e culturais; painéis sobre “Mecenato Municipal e Estadual: Mecanismos de Financiamento da Cultura”, com o membro do Conselho Estadual de Cultura Marcelo Seixas; sobre “Preservação do Patrimônio e da Passagem Cultural”, com a conselheira estadual de Cultura Betina Adams; entrega da Carta Aberta do Fórum Dança Sul de Santa Catarina; apresentação do Mapacultural.SC; debate sobre a implantação do Sistema Estadual de Cultura. O evento encerra com um ensaio aberto do Coral Unesc.

O encontro contou com a participação do presidente da Fundação Cultural de Criciúma, Serginho Zappelini; do presidente do Conselho Municipal de Políticas Culturais de Criciúma, Ismail Ahmad; do presidente da Amrec, Hélio Cesa; da assessora da Diretoria de Extensão, Cultura e Ações Comunitárias da Unesc, Sheila Martignago Saleh; da coordenadora do curso de Ciências Contábeis da Universidade, Milla Lúcia Guimarães; da coordenadora do Setor de Arte e Cultura da Unesc, Amalhene Baesso Reddig e do produtor cultural do Setor de Arte e Cultura da Universidade e representante do conselho, Maxwell Sandeer Flor.  

Fonte: AICOM - Assessoria de Imprensa, Comunicação e Marketing
18 de setembro de 2018 às 17:45


Fonte:

http://www.unesc.net/portal/aicom/blog/43001-unesc-e-sede-de-reuniao-descentralizada-do-conselho-estadual-de-cultura

terça-feira, 11 de setembro de 2018

Reunião Descentralizada do Conselho Estadual de Cultura


O Conselho Municipal de Políticas Culturais de Criciúma – COMCCRI, vem convidar os produtores, artistas, gestores e fazedores de cultura para a Reunião Descentralizada do Conselho Estadual de Cultura de Santa Catarina, que acontecerá no dia 18 de setembro de 2018, às 13h30, no Auditório Edson Rodrigues - Bloco P - UNESC - Criciúma/SC.

Programação: 

13h30 - Apresentação Artística;
14h - Comunicação de Autoridades da Região Sul de Santa Catarina;
14h30 - Painel - Mecenato Municipal e Estadual: Mecanismos de Financiamento da Cultura, sobre a implantação de políticas públicas de incentivo à cultura (Conselheiro Marcelo Seixas - Florianópolis/SC);
15h - Preservação do Patrimônio e da Passagem Cultural (Conselheira Betina Adams - Florianópolis/SC); 
15h30 - Pautas do Conselho Estadual de Cultura de Santa Catarina;
18h - Encerramento com apresentação Artística (Palco do Quintas Culturais).

Registramos que será enviado declaração via e-mail para os participantes da Reunião Descentralizada do CEC, com carga horária de 05 (cinco) horas.

Colaboração: Manoela Flor (Secretaria do COMCCRI)



quarta-feira, 25 de julho de 2018

Déficit no Repasse do Fundo Municipal de Incentivo à Cultura

Lei que determina depósito de aproximadamente R$ 20mil ao mês ao fundo não vem sendo cumprida regularmente. 

Segundo o Conselheiro Estadual de Cultura Maxwell Sandeer Flor "Conseguimos abrir uma conta com próprio CNPJ do Fundo Municipal de Incentivo a ultura, visando o repasse mensal direto nessa conta, mas até o momento desde a criação da Lei nunca esse deposito foi mantido à risca", pontua. 

Segue matéria completa abaixo no jornal A Tribuna.

Jornal A Tribuna - Geral - Página 06 (25/07/2018)

Colaboração: Manoela Flor - Secretaria do COMCCRI


ATA Nº 26 – COMCCRI


ATA Nº 26 – COMCCRI

Aos doze dias do mês de junho de 2018, às nove horas da manhã, reuniram-se nas dependências na Sala de Coordenação dos Conselho Paço Municipal, os seguintes representantes do Conselho Municipal de Políticas Culturais (COMCCRI): Representando a Sociedade Civil: Frankilin dos Passos (Cultura Popular); Daniele Cristina Zacarão Pereira (Artes Visuais); Luana Vitali Bento (Livro e Literatura); Julia Dias Gomes (Arquiteta Jorge Zanatta); Manoela de Assis Flor (Teatro); Tiago da Silva Coelho (Patrimônio). Representando o Setor Governamental: Ismail Ahmad Ismail (Fundação Cultural de Criciúma); Cassia Beatriz Villain (IPHAM); Jansen C. dos Santos (Procuradoria); Cida Panato (Teatro Elias Angeloni); Adriana Aparecida Tavares Ferro (Casa da Cultura); Fabrizio A. Rosrigues (Secretaria de Educação); Realdo Medeiros (Museu Municipal Augusto Casagrande); Jamile Souza da Silva (Fundação Cultural de Criciúma).

Justificaram a ausência as conselheiras Sandra Helena Burigo por estar em consulta médica; Nathália Pereira Cabral por estar em aula; Mariane Martins por estar em aula; Silemar Maria de Medeiros da Silva por estar com demandas da universidade; Samarone Pereira dos Santos por estar em trabalho; Hellen Barros Manenti por estar em trabalho; Willian Otavio Batista Comim por imprevisto; Tiago de Souza por estar em trabalho.

    Deu-se início a reunião com a apresentação da Julia Dias Gomes, arquiteta responsável pela restauração do Centro Cultural Jorge Zanatta.
    Em seguida o presidente Ismail falou sobre a primeira pauta (criação de conta bancária para o Fundo Municipal de Criciúma) alegando que a conta já está ativa e já podemos receber o Fundo, colocando também a pauta para a próxima reunião (proposta oficial do governo para lançar o Edital Cultura Criciúma).

    Na próxima pauta é discutido sobre a Criação do Formulário no Google Docs para sistema de informações e indicadores culturais de Criciúma, pois, segundo Ismail, "os setores não estão trazendo suas demandas para o COMCCRI e esta seria uma forma para recebermos, além de ser de suma importância para a militância do fundo." Ao fim desta discussão, Daniele Zacarão assumiu a responsabilidade de verificar o Formulário.

    É dada continuidade a reunião com a apresentação do projeto de restauração do Centro Cultural Jorge Zanatta, que está ocorrendo de forma rápida e acreditamos que a reinauguração acontecerá em novembro segundo cronograma. Ao final da conversa construtiva sobre a obra e suas demandas, Julia se coloca a disposição do Conselho e também ao público em relação à dúvidas, alegando que a obra está aberta para acompanhamento.
   Logo após a saída da arquiteta, Manoela Flor, secretária do COMCCRI explica a importância da atualização do Regimento Interno do Conselho pela questão da lei ter mudado, então foi decidido que na próxima reunião, com todos os presentes, será atualizado de forma deliberativa, juntamente com a atualização do Edital Cultura Criciúma.

  No último ponto de pauta, Daniele Zacarão questiona sobre a Lei PE nº 018/18 que estipula valores para o uso do Teatro Municipal Elias Angeloni, mostrando sua preocupação com o atendimento de projetos que necessita de um espaço e que são financiados com o dinheiro público. Cida Panato explica que deve ter um diálogo com a Fundação Cultural em relação aos valores estipulados quanto aos projetos.   

Nada mais havendo a tratar, foi lavrada a presente ata, que vai assinada por mim, Manoela de Assis Flor, secretária do COMCCRI, pelo presidente do COMCCRI, Ismail Ahmad Ismail e pelos Conselheiros presentes.